quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Clonagem.





Aquietei minha tristeza nos seus olhos,
amansei minha pressa no seu tempo,
apoiei meu sonho em seu pensamento.

Minha fantasia pendurada no seu peito,
minha vontade apoiada em seu direito,
pintei meu perfil em sua identidade.

Desliguei o minuto
que é para saber se porventura escuto
as fibras do meu coração em desalinhos;
depositei em suas mãos meu abandono.
Seu clone , seu sangue, seu carbono,
desenrolei debaixo dos seus passos meu caminho.



# Flora Figueiredo.